Recent Posts

Archive

Tags

Transtorno do Pânico


O que é um ataque de pânico? O ataque de pânico, é um elemento essencial do transtorno do pânico, é um período de intenso medo ou desconforto que aparece de repente, muitas vezes em lugares familiares, onde não existe nada aparentemente ameaçador ao indivíduo. Mas quando o ataque vem, ele se sente como se existe uma ameaça real, e o corpo reage em conformidade.

Ataques de pânico são geralmente classificados como parte do transtorno do pânico quando eles ocorrem mais de uma vez, e são acompanhados por pelo menos quatro dos seguintes sintomas:

- Suores - Falta de Ar - Batimento cardíaco acelerado - Dor torácica - Sensação de instabilidade - Sensações de sufoco ou abafamento - Dormência ou zumbidos - Arrepios ou afrontamentos - Desmaios - Tremores ou agitação - Náuseas ou dor abdominal - Sensação de ser irreal ou estar desconectado - Medo de perder o controle , enlouquecer, ou morrer

O desconforto e a sensação de perigo do ataque é tão intensa que leva as pessoas com transtorno do pânico muitas vezes a achar que está tendo um ataque cardíaco ou outras doenças com risco de vida.

Ataques de pânico são o evento mais provável a motivar uma pessoa a procurar ajuda médica. No entanto, se lhe é dito que nada está errado ou que o problema é psiquico, o paciente pode se sentir frustrado ou envergonhado e não procurar ajuda adicional. Isso pode resultar em três consequências graves:

Ansiedade Antecipatória: Esta condição é desencadeada pelo pensar sobre a possibilidade de ter um ataque de pânico. Uma vez que isto desenvolve, a ansiedade antecipatória pode fazer com que a pessoa se torne reclusa, optando de suportar sozinho os ataques, e não em público quando não há nenhuma chance de escapar.

Comportamento de Esquiva : Pessoas que sofrem de ataques de pânico podem descontinuar as atividades que parecem desencadear ataques pânico, como ir ao parque, dirigir, andar de elevador, ou fazer qualquer coisa que traz ao corpo sensações assustadoras. Embora a fuga temporariamente ajude a acalmar o medo do ataque e da perda de controle, ela também torna quase impossível ter uma vida normal. Além disso não impede que os ataques ocorram.

Agorafobia: Muitas vezes conjugada com transtorno do pânico, agorafobia é o medo de estar em locais ou situações das quais poderia ser difícil escapar ou nas quais uma ajuda não esteja disponível no caso de um ataque de pânico ocorrer. Agorafobia é uma forma grave de evasão fóbica pode levar as pessoas com transtorno do pânico para evitar lugares públicos, multidões, ou viajar de ônibus ou de avião. Este padrão pode avançar ao ponto de o doente não conseguir sair de casa.

Incidência e Freqüência: Cerca de duas vezes mais mulheres do que homens experiência pânico, no entanto, não há nenhuma diferença na freqüência em que o pânico aparece entre pessoas de diferentes origens étnicas, económicas e de origens geográficas. A desordem geralmente acomete os indivíduos por volta dos vinte anos. Às vezes é precedida por um evento estressante que pode desencadear o primeiro ataque. Na maioria dos casos, no entanto, a maior parte das pessoas não é capaz de associar o seu primeiro ataque de pânico com qualquer evento específico na sua vida. De acordo com o National Institute of Mental Health americano, mais de três milhões de americanos irão experienciar pânico em algum momento das suas vidas. As pessoas com transtorno do pânico também são propensas a outras doenças como a depressão e o abuso drogas ou álcool.

Tratamento: Duas opções de tratamento estão disponíveis para pessoas com transtorno do pânico: medicação e psicoterapia. É comprovado cientificamente que o tratamento multidisciplinar, que se utiliza de ambas as opções terapêuticas é a opção mais eficaz.

Vale a pena ressaltar, que esses artigos têm como objetivo, elucidar e informar o publico: não são ferramentas para diagnóstico. Se você se identifica com alguns destes sintomas, procure a ajuda de um profissional.